Selecione o seu estado/cidade

x
Última atualização: 28/11/23 às 02:11

Metaverso é um espaço tridimensional acessível por meio de tecnologias como realidade virtual e aumentada. Nele, é possível criar interações recreativas, educacionais e laborais utilizando avatares.

Atualmente, 6% dos brasileiros que usam a internet já estiveram no metaverso. Os números são de uma pesquisa realizada pela Kantar Ibope Media, que analisa tendências de marketing.

O termo metaverso tem ganhado destaque nos últimos anos, sendo frequentemente associado ao futuro da interação digital e da realidade virtual. Neste artigo, você conhecerá melhor sobre como essa nova forma de interação está impactando o nosso cotidiano.

O que é metaverso?

O metaverso é um espaço virtual tridimensional, geralmente acessado por meio de tecnologias digitais como realidade virtual e aumentada. Trata-se de um ambiente  onde os usuários podem interagir entre si e com elementos virtuais em tempo real. 

O termo sugere a criação de um universo digital expansivo, englobando interações por meio de jogos, e simulações de espaços físicos, onde os usuários podem trabalhar, estudar ou se divertir. 

Os avatares, representações gráficas ou 3D que os usuários escolhem para personificar sua identidade, são elementos característicos do metaverso. Afinal, eles permitem que as pessoas criem uma presença única no ambiente digital.

Assim, elementos como roupas, acessórios e características físicas podem ser ajustados de acordo com as preferências dos usuários.

Exemplos de metaverso

Existem diferentes abordagens para a construção do metaverso. Em termos gerais, elas podem ser classificadas em dois tipos principais: centralizadas e descentralizadas.

Metaverso centralizado

Os metaversos centralizados são ambientes virtuais criados e controlados por empresas ou organizações específicas. Essas entidades têm controle total sobre o conteúdo e as interações no ambiente virtual.

Basicamente, a dinâmica nesses espaços se dá por meio da venda de itens virtuais, publicidade e outras formas de monetização. Veja a seguir alguns exemplos:

Second Life: os usuários podem criar avatares personalizados e interagir em um ambiente virtual em 3D. É possível comprar e vender itens virtuais, como roupas, acessórios e objetos de decoração com Linden Dollar,  moeda virtual do jogo. 

Fortnite: trata-se de um jogo de batalha que se expandiu para o metaverso. Além de competir, os jogadores podem comprar itens virtuais, usando a moeda do jogo, o V-Buck. O espaço também abriga eventos e shows de grandes nomes, transformando-o em uma plataforma de entretenimento.

Horizon Worlds: essa plataforma da Meta permite a criação de jogos e interações sociais com milhares de pessoas, focando na colaboração e uso de dispositivos de realidade virtual.

Metaverso descentralizado

É estruturado na tecnologia blockchain, sistema descentralizado de registro de transações que fornece segurança e transparência por meio de uma cadeia de blocos de informações, permitindo a compra e venda de terrenos virtuais e outros ativos digitais. Confira os exemplos:

Decentraland: é uma plataforma virtual que permite aos usuários comprar, vender e construir em terrenos virtuais. 

Nesse metaverso, os participantes podem explorar, interagir com outros membros e criar conteúdo, utilizando tokens não fungíveis (NFTs) para representar a propriedade de ativos digitais. 

The Sandbox: é uma plataforma de criação de jogos e mundos virtuais baseada em blockchain. Ela permite que os usuários construam, compartilhem e monetizem seus próprios jogos e experiências interativas em um ambiente virtual descentralizado. 

A plataforma é governada por uma DAO (Organização Autônoma Descentralizada), entidade organizacional baseada em contratos inteligentes em uma blockchain, permitindo que os usuários tenham voz ativa nas decisões de desenvolvimento.

Upland: é um jogo de compra, venda e negociação de propriedades virtuais que são mapeadas para localizações do mundo real. Os jogadores podem explorar, participar de atividades econômicas e interagir em um ambiente virtual que se sobrepõe ao mundo real.

Somnium Space: é uma plataforma de realidade virtual onde os usuários podem interagir, criar, comprar e vender propriedades digitais, como terrenos virtuais, obras de arte, acessórios e objetos. Os usuários podem participar de eventos, atividades sociais e econômicas dentro desse espaço virtual.

Como será o metaverso nos próximos anos?

A influência e presença do metaverso em nossas vidas, aos poucos, está se tornando mais visível. Confira abaixo algumas maneiras pelas quais ele poderá se integrar ao nosso cotidiano:

Mídias sociais: plataformas como Meta estão se movendo em direção a experiências mais interativas. Por exemplo, o Oculus Quest 2, um dispositivo de realidade virtual da Meta, permite que os usuários interajam em ambientes virtuais e sociais.

Trabalho remoto: com a pandemia de Covid-19, houve um aumento na adoção de videochamadas, além da criação de escritórios virtuais, como é o caso da Gather Town, plataforma que combina elementos de videoconferência, jogos e metaverso. 

Ela permite que as pessoas interajam em um ambiente virtual compartilhado, semelhante a um jogo de vídeo. Cada participante é representado por um avatar personalizável.

Educação: os alunos podem se reunir em ambientes virtuais para participar de aulas, colaborar em projetos e interagir com seus colegas e professores.

Medicina: nessa área, os metaversos são usados para treinar estudantes e profissionais de saúde em ambientes de realidade virtual. Assim, é possível simular cirurgias em corpos virtuais, por exemplo.

Isso permite a repetição e aperfeiçoamento de técnicas sem riscos associados aos ambientes de treinamento tradicionais. 

NFTs (Tokens Não Fungíveis): estão se tornando uma parte importante do metaverso, permitindo a propriedade e venda de ativos digitais exclusivos, como obras de arte e itens de jogos.

Economia digital: inclui compra e venda de terras virtuais, itens e ativos digitais dentro de metaversos estão se tornando uma realidade, impulsionando uma economia digital emergente.

Eventos: festivais, conferências e eventos de entretenimento estão sendo realizados em metaversos, oferecendo experiências virtuais e interativas para o público.

Saúde e bem-estar: Alguns aplicativos e terapias estão explorando o uso de ambientes virtuais para promover o bem-estar mental e a redução do estresse.

À medida que a tecnologia evolui e mais pessoas adotam a ideia de participar de ambientes virtuais compartilhados, é provável que vejamos um aumento na influência do metaverso em nosso dia a dia.

Soluções do metaverso para empresas

O metaverso oferece várias oportunidades para empresas. Ele possibilita a criação de experiências de cliente inovadoras, como lojas virtuais interativas e atendimento personalizado ao cliente.

Um exemplo prático dessas experiências é o de montadoras de automóveis que permitem que os clientes personalizem seus carros em uma plataforma imersiva, de modo que eles experimentem diferentes cores e acessórios virtualmente antes da compra.

Além disso, é possível se valer do ambiente virtual para realizar feiras comerciais e eventos. Nesse caso, os participantes podem visitar estandes virtuais, assistir a palestras e interagir com representantes da empresa por meio de avatares.

Outra aplicação do metaverso em organizações diz respeito à colaboração entre equipes globais. Nesse caso, uma empresa de consultoria, por exemplo, pode permitir que suas equipes em diferentes fusos horários trabalhem juntas em projetos. Elas revisam documentos e estratégias em um ambiente virtual compartilhado..

Há ainda o uso para desenvolvimento de produtos, em que é possível prototipar designs. Uma empresa de móveis, por exemplo, cria protótipos 3D de dispositivos em um metaverso para testar a ergonomia e o design antes da produção.

Por fim, é possível se valer do metaverso para testar procedimentos. Por exemplo, uma empresa de energia pode simular situações de emergência em um ambiente virtual para treinar sua equipe de resposta a crises.

Esses são apenas alguns exemplos que ilustram como o metaverso está se integrando às operações cotidianas de empresas, oferecendo oportunidades inovadoras de treinamento, colaboração e interação com clientes.

Internet de qualidade: a chave para o acesso ao metaverso 

À medida que a ideia do que é metaverso avança, é fundamental que empresas e usuários estejam preparados para abraçar as oportunidades que surgem com essa nova realidade virtual. E o primeiro passo para isso é investir em uma internet de ultravelocidade. 

Lembre-se de que, em ambientes virtuais, é preciso  conversas de voz, movimentar avatares, fazer videochamadas, entre outras ações que demandam respostas rápidas e precisas. Isso requer uma largura de banda considerável.

Em situações colaborativas e em tempo real, como reuniões virtuais ou eventos, uma internet de qualidade é essencial para sincronizar adequadamente as ações entre os participantes. 

É por isso que a  Alares oferece uma experiência virtual sem interrupções, permitindo que você vá cada vez mais além no metaverso. Nossos planos de internet permitem que você participe de eventos virtuais e jogue sem atrasos.

Escolha Alares, eleve sua experiência online e explore o metaverso sem limites.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se e fique por dentro dos nossos conteúdos!

    Já sou cliente
    Quero assinar